Terça-feira 02 de fevereiro de 2016.




Olá pessoal!!!!!

Quando divulgam que nosso livros preferidos vão virar filme é um grande dilema para nós leitores, não é! Sempre fica aquele dúvida de como será que o diretor e o roteirista vão contar uma história que já conhecemos tão bem. Por isso resolvi criar uma nova categoria de post aqui no blog: Livro x Filme. Nesses posts vou comentar com vocês o que acho das versões cinematográficas em comparação com os livros em que foram baseados.

E o primeiro post será sobre O maravilhoso agora. Eu primeiro vi o filme e só depois li o livro, aqui no Brasil o filme foi lançado antes do livro. Normalmente quando vejo  primeiro o filme e gosto da história. quando leio o livro acabo gostando muito mais da história.
O livro O maravilhoso agora foi escrito por Tim Tharp e publicado aqui no Brasil pela Editora Record. O filme foi dirigido por James Ponsoldt com roteiro de Michael H. Weber e Scott Neustadter e estrelado por Miles Teller e Shailene Woodley que também atuam na série de filmes baseados na trilogia Divergente de Veronica Roth.
O maravilhoso agora conta a história de Sutter Kelly, um adolescente que gosta de viver despreocupadamente, adora festas e beber refrigerante "batizado". Tudo parecia ir bem na vida de Sutter até que sua namorada Cassidy termina o namoro após um mal-entendido quando ele está tentando ajudar seu melhor amigo Ricky a conseguir um encontro. Sutter acaba conhecendo uma garota que o leva para outra realidade, seu nome é Aimee Finecky. Ela estuda no mesmo colégio dele, eles até já estudaram junto mas ele não se lembra dela;  ela gosta de ler ficção científica e sonha em trabalhar na Nasa, mas é muito tímida e acaba sendo explorada pela mãe, com quem trabalha entregando jornais, e pela melhor amiga. Agora Sutter tem a chance de de fazer a diferença na vida de alguém ou de arruiná-la para sempre.

Livro x Filme:
Como já era de se esperar existem algumas diferenças notáveis entre a história do livro e a contada no filme. A primeira grande diferença é a própria família de Sutter. No livro ele mora com sua mãe e seu padastro, já no livro sua mãe ficou sozinha após se separar do pai de Sutter. A amizade de Sutter com Ricky também é mais explorada no livro, eles conversam bastante e Ricky participa de grande parte da história, mas no filme Ricky pouca influência tem e quase não aparece.
Os acontecimentos que levam Sutter a conhecer Aimee também são diferentes no livro e no filme. Na história do livro a irmã de Sutter o convida para um jantar em sua casa, alguns amigos de seu marido também foram convidados. Ele tenta escapar mas não consegue. Durante o jantar ele vai até o quarta da irmã para fumar e acaba colocando fogo em um dos ternos de seu cunhado. Depois da confusão ele acaba indo embora mas não quer voltar para casa pois sabe que sua mãe vai estar esperando. Sutter decide então compra bebida e sair dirigindo sem rumo. Ele acorda no meio de um jardim de uma casa e uma garota olhando, Aimee. Já que ela vai fazer as entregas de jornais no bairro se oferece para dar uma carona para Sutter procurar seu carro. Já no filme Sutter acaba conhecendo Aimee depois de encontrar Cassidy em uma festa, ela já está namorando outra pessoa e ele sai da festa e resolve beber para afogar suas mágoas terminando no mesmo jardim.
Algumas características dos próprios personagens principais também são bem diferentes. No livro Aimee é mais passiva do que no filme e Sutter é mais substancial no livro, tem mais conteúdo. Mesmo com as diferenças gostei bastante tanto do filme quanto livro e recomendo os dois! Acabei assistindo ao filme novamente depois de ler o livro e a percepção que tive foi bem diferente da primeira vez. Como já sabia da história do livro meu foco foi outro, encontrar as diferenças. Por isso recomendo que primeiro assistam ao filme para só depois ler o livro. Confesso que preferi o final do filme ao final do livro. Gostaria muito de saber qual a opinião de vocês!

Espero que tenham gostado deste post e me acompanhem nas redes sociais durante a Maratona Literária de Carnaval!

Beijos,




Deixe um comentário